Obesidade

Obesidade: O novo mal do Século?


A obesidade é uma doença crônica, associada a elevado custo financeiro e social, que vem alcançando números alarmantes. Atualmente estima-se que 50% da população brasileira está acima do peso e que, até 2025, 2,3 bilhões dos adultos do mundo sofrerão com sobrepeso e mais de 700 milhões terão obesidade. Os números entre as crianças e adolescentes também são preocupantes, com até 75 milhões de crianças com sobrepeso ou obesidade até 2025, se nenhuma medida for tomada.

O grande problema da obesidade, longe de ser a questão estética, é o aumento do risco e da gravidade das doenças associadas, tais como diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial, infarto, AVC, esteatose e cirrose hepáticas, câncer, e ainda dos transtornos psiquiátricos como depressão e ansiedade. Desse modo, a obesidade causa aumento da mortalidade global, com uma redução média de 10 anos na expectativa de vida do paciente obeso quando comparado ao com peso normal.

Uma parte dos casos de obesidade tem origem em uma doença endócrina como a síndrome de Cushing ou doenças hipotalâmicas, enquanto a grande maioria resulta da interação entre herança genética e exposição ambiental seja aos alimentos ultraprocessados e com alto teor calórico ou ao sedentarismo, podendo ainda estar relacionada com a compulsão alimentar que, na maioria das vezes, não é identificada e, portanto não é tratada adequadamente.

A abordagem multidisciplinar e integral do paciente obeso ou com sobrepeso com tratamento medicamentoso, dietético e psicológico simultâneos visando a recuperação do bem-estar, a reeducação alimentar e mudanças estruturais no estilo de vida, são essenciais para a perda de peso e, principalmente, para a manutenção do peso perdido. O conceito de “dieta” como uma intervenção temporária que é seguida pelo retorno aos antigos hábitos, deve ser desencorajado e o tratamento contínuo e a longo prazo deve ser incentivado.

Como uma doença crônica, a obesidade deve ser tratada continuamente, tendo em mente que o esforço necessário para manutenção de um determinado peso é muito maior para as pessoas que já tiveram pesos maiores.

O maior determinante de sucesso na perda de peso, segundo diversos estudos ao redor do mundo é o acompanhamento médico e da equipe multidisciplinar regular. O emagrecimento saudável é uma maratona, que requer paciência e persistência, procurar ajuda médica é essencial nesse processo.

Entre emagrecimento e saúde, escolha os dois!